Mercados Municipais

Local: Avenida 5 de Outubro

Os Mercados foram construídos no ano de 1915, no amplo largo que demarca a Barreta do Levante, em plena Avenida 5 de Outubro. Características: os mercados contêm uma planta rectangular de um só piso com cobertura homogénea de quatro águas e quatro torreões envidraçados de uma forma cilíndrica com cúpulas metálicas – estes elementos arquitectónicos anulam em absoluto a redução das praças de Olhão a dois vulgares paralelepípedos, dando-lhes um aspecto monumental. A sua importância não está só na arquitectura e no centro do comércio que são, mas constituem também neste largo que as procissões atingem a maior solenidade, fazendo aqui a sua paragem para lançar as bênçãos à frota pesqueira.

Igreja Matriz de Olhão

Local: Praça da Restauração

Visitas: Todos os dias das 10 horas às 12:30 e das 15 horas ás 17:30.
Construída em 1698, a igreja Matriz foi o primeiro edifício de pedra em Olhão, aberta ao público a partir do ano 1715. Características: Templo de fachada Barroca com frontão decorado com volutas. Ao centro um escudo ladeado por anjos. Uma abóbada de berço, cobre o amplo interior. A capela-mor é definida por um retábulo e arco triunfal em talha dourada, que data o século XVII. Parâmetros e peças de ourivesaria constituem o tesouro sacro. Na retaguarda da igreja, a capela de Nosso Senhor dos Aflitos, santo da devoção da gente do mar.

Casa de Compromisso Marítimo

Local: Praça da Restauração

Visitas: Horário do Museu da Cidade de Olhão.
Fundado no Século XVIII. Características: O Compromisso Marítimo, é um edifício de fachada sombria e simples. Possui três frentes sendo a principal para a Praça da Restauração, a poente confina com a Ermida de Nossa Senhora da Soledade. No piso térreo existe um portal encimado por um nicho onde podemos encontrar a imagem da Nossa Senhora da Graça e duas inscrições lapidares relativas à revolução popular de 1808. A sua cobertura é marcada por dois telhados de quatro águas.

Igreja de Nossa Senhora da Soledade ( Igreja Pequena)

Local: Rua da Soledade

Foi o primitivo templo dos pescadores. Nas fachadas existem alguns ornamentos de massa sobre o portal, no centro do frontão, na platibanda e na cúpula. No seu interior os retábulos dos altares são do século XIX. Imagem de Santa Luzia, datada do século XVIII. Á entrada uma lage encobre um antigo poço usado para lavar a ermida.

Antigo Edifício da Alfândega

Local: Praça Joaquim Lopes

O edifício da Alfândega surge no ano 1842 a 28 de Junho devido ao desenvolvimento da freguesia. O edifício ocupa o gaveto da praça Patrão Joaquim Lopes com a Avenida 5 de Outubro e Rua Alexandre Herculano. Características: O edifício possui uma planta rectangular, cobertura diferenciada com três telhados de quatro águas a sua fachada principal possui alguns elementos arquitectónicos interessantes que o distingue dos demais edifícios.

Zona Histórica

A zona histórica de Olhão é composta por duas zonas a da Barreta (a poente) e a do Levante (a nascente). É caracterizada pela disposição irregular do cesario branco rematado por açoteias onde se elevam mirantes e contramirantes, imprimindo-lhe um aspecto único. A zona da Barreta apresenta ruas e ruelas mais estreitas e de referir a Travessa dos Abraços, Largo da Palmeira e o do Gaibéu. Na zona da Barreta de referir topónimos como o da Rua dos Sete Cotovelos.

Capela do Senhor dos Afllitos

De construção barroca e situada nas traseiras da Igreja Matriz, é constituída por dois andares, sendo o superior uma loggia. Esta capela ostenta ao centro um painel de azulejos com a Crucificação de Cristo. Muitas pessoas, tanto residentes como visitantes, atraídas pelas velas que não se apagam, seja de dia ou de noite, fazem ali as suas orações. Esta capela transformou-se num local de culto para milhares de pessoas e, como tal, é também um local de visita obrigatório. Virada para a ampla e movimentada Avenida da República, este é ótimo ponto de partida para descobrir a cidade e o comércio local.

Jardim Pescador Olhanense

Ótimo espaço de lazer da cidade, atrai a população e visitantes para momentos de passeio e convívio. Durante o ano, decorrem neste local vários eventos de índole cultural. Neste jardim encontra-se implantado um coreto, construção do século XX e excelente exemplo de arquitetura civil, de planta hexagonal com estrutura em metal que suporta uma cobertura semicircular. Nos vários bancos dispostos neste jardim, podemos contemplar painéis de azulejos que retratam a revolta do povo olhanense contra os franceses e a viagem do Caíque Bom Sucesso ao Brasil. É um dos postais ilustrados de Olhão, logo à entrada e junto à Ria Formosa, para quem chega de fora.

Jardim Patrão Joaquim Lopes

Espaço verde e de lazer situado junto à Ria Formosa, inaugurado em 1967, no qual podemos encontrar o monumento ao Patrão Joaquim Lopes, olhanense que se distinguiu pela sua valentia, tendo efetuado inúmeros salvamentos de naufrágios. Aqui, perto do local onde se apanham os barcos que fazem a travessia para as ilhas da Ria Formosa (Culatra, Armona e Farol), o mar e a história de tempos áureos conjugam-se. Com uma bela vista sobre a Ria, este jardim acolhe várias espécies arbóreas, tornando-se um local agradável para repouso e convívio.

Porto de Recreio

Com capacidade para 350 embarcações, revela-se uma excelente infraestrutura de apoio à náutica de recreio no Sotavento algarvio. Localizado no lado poente da Zona Ribeirinha, este local de importante valor turístico, atrai muitos proprietários de embarcações de recreio, que aqui deixam ancorados os seus barcos, ficando alojados no hotel em frente ou noutras unidades hoteleiras do concelho e daqui partem à descoberta desta zona do Algarve. Com a cada vez mais forte aposta do concelho no turismo esta é, sem dúvida, uma infraestrutura de enorme importância a que, no futuro, se deverá juntar um anfiteatro ao ar livre e edifícios complementares com lojas e escritórios.

Poço das Bombas

Neste local existiu um poço que terá sido, durante muito anos, a principal fonte de abastecimento de água para consumo público da povoação, onde se reabasteciam os aguadeiros, que a distribuíam de porta em porta. Localizado na Avenida da República, em 1998 foi alvo de reabilitação e atualmente exibe um belíssimo painel de azulejos de Jorge Timóteo, alusivo aos aguadeiros, e uma pequena fonte ornamental com motivos aquáticos iluminados. Mais uma alusão à água refrescante no meio da cidade olhanense!

Zona Ribeirinha

Local: Avenida 5 de Outubro

Estende-se ao longo da Avenida 5 de Outubro, com uma vista panorâmica sobre a ria. Contem duas amplas zonas de espaços verdes, que são o Jardim Patrão Joaquim Lopes e o Jardim Pescador Olhanense. Nesta zona existem esplêndidas esplanadas e restaurantes que atraem visitantes de todos os cantos do país e do mundo, pela excelência da sua gastronomia.