Palestra evoca António Aleixo

Foi a escola da vida que o fez um poeta popular. António Aleixo, o algarvio semianalfabeto, que descobriu nas rimas uma forma de espantar a dureza da existência humana, ficou célebre como “o poeta cauteleiro” e tornou-se eterno pelo legado que nos deixou: uma obra poética singular.

Nascido em Vila Real de Santo António, em 1899, António Aleixo viveu os seus últimos anos em Loulé, onde faleceu, em 1949, vítima de tuberculose.

Na próxima palestra mensal, promovida pela Universidade Sénior com o apoio da Freguesia de Olhão, António Aleixo será evocado por Henriqueta Silva, professora aposentada de Português/Francês, que tem dedicado os últimos anos à pesquisa sobre vultos da nossa História e Literatura, em especial do Algarve.    

A palestra intitulada “E assim se tornam eternos”, terá lugar sábado, dia 18 de março, às 15h30, no Auditório da Praceta de Agadir. 

18.03.2017